Sulpetro - Home

Notícias

Sindicato terá de explicar reajuste da gasolina ao MP
19-03-2014

O presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (SindCombustíveis/MA), Orlando Santos, afirmou que não existe risco de faltar combustíveis nos postos de revenda do Maranhão. Ele garantiu que a demora no carregamento de combustíveis no Porto do Itaqui é um problema que sempre ocorre e não chega a comprometer o abastecimento.

Orlando Santos também descartou que este atraso no carregamento tenha influenciado os donos de postos de combustíveis a aumentar e unificar os preços do litro da gasolina em R$ 2,99. Segundo ele, também não houve aumento nas distribuidoras para justificar o reajuste. 

“O sindicato não tem poderes para regular o segmento, já que as revendas de combustíveis são livres em todo o país para definir seus preços, mas cabe a cada revendedor local praticar valores dentro da realidade”, declarou o presidente do sindicato do SindCombustíveis, não sabendo explicar ao certo o motivo da alta e qual a variação de preços da gasolina atualmente no estado.

O Ministério Público, por meio da Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor, encaminhou ofício ao SindCombustíveis, a postos de revenda, à Agência Nacional de Petróleo (ANP) e às distribuidoras que atendem o Estado pedindo explicações para o aumento e para a unificação dos preços da gasolina em São Luís. 

Conforme verificação de preços feita, o litro da gasolina está variando de R$ 2,89 a R$ 3,00, dependendo do local de revenda, em São Luís, um acréscimo de mais de R$ 0,20 no valor do litro do combustível em alguns postos, em relação à semana passada.

Consumidor - Consumidores que verificaram o aumento de preços se queixam do reajuste e garantem que vão deixar de abastecer nos postos que cobram mais caro pelo produto. “Eu costumo abastecer no posto de revenda lá do bairro Ivar Saldanha, mas desde o início da semana verifiquei que o valor cobrado pelo litro da gasolina comum passou para R$ 2,99. Assim, não tenho como abastecer”, reclamou a autônoma Ana Lins Carvalho. 

Opinião semelhante manifestou o contador Antônio da Silva Dias, que também ficou surpreso com o aumento de preços da gasolina. “Eu nem sabia que havia aumentado. No fim de semana passado, o valor do litro estava R$ 2,78. E no início desta semana já havia subido para R$ 2,99. Abasteço neste posto que a gasolina é da Petrobras. Como vem direto do Governo, deveria ser mais barata. Mas acho que o consumidor tem poder para mudar o curso desses reajustes. É só deixar de abastecer nos locais onde o preço é maior”, finalizou o consumidor.

Promotor enviou ofício ao sindicato

O promotor de Justiça e Defesa do Consumidor, Carlos Augusto Oliveira, informou que encaminhou ofício aos representantes de todas as entidades e órgãos que respondem pelo abastecimento de combustíveis em geral no Maranhão para que expliquem o motivo do aumento e da unificação dos preços.

“Estamos convocando todos por meio de ofício para que expliquem o reajuste para o consumidor. Também vamos querer informações de todos sobre a real situação de abastecimento da gasolina e de derivados do petróleo no Maranhão”, informou o promotor.

Carlos Augusto Oliveira acrescentou ainda que o Ministério Público abrirá na Justiça do Maranhão investigação sobre reajustes de preços aplicados pelos postos de combustíveis. “O aumento pode até ser justo, mas desde que haja uma justa causa para ser repassado ao consumidor. Não se pode admitir reajustes sem que haja motivos”, afirmou o promotor Carlos Augusto Oliveira.

* Com informações do jornal O Estado do Maranhão




Compartilhar