Sulpetro - Home

Notícias

Prêmio Coopetrol Internacional: Do futebol ao mundo dos combustíveis
24-09-2014

Presidente da Unión de Vendedores de Nafta del Uruguay (Unvenu), Daniel Añon de Leon (59 anos) iniciou sua atuação junto ao setor combustíveis em 1976, quando decidiu trabalhar na estação de serviços de seu pai – empreendimento que, atualmente, pertence a ele próprio. Antes disso, o empresário se destacou como jogador de futebol profissional. Añon de Leon é reconhecido por sua representatividade na busca de soluções para o segmento e, por isso, será agraciado durante o 17º Congresso Nacional e Latino-americano de Revendedores de Combustíveis, em setembro, com o Prêmio Coopetrol na categoria Internacional.

Dentro da Unvenu, o dirigente ocupou outros cargos, como o de secretário, e há 4 anos preside a instituição. Desde 1991, ele também é presença garantida na defesa da categoria junto à Comissão Latino-americana de Empresários de Combustíveis (Claec) – quando ocorreu a fundação da comissão, em Porto Alegre. “A luta pelo setor foi baseada na manutenção do regime de distribuição regulado, que permanece, felizmente, até hoje. Com certeza, muito disso se deve à Claec”, comenta. Para o empresário, a mais importante realização do segmento nos últimos anos foi mantê-lo plenamente regulamentado: preço, abertura das estações e das distribuidoras.

Segundo o presidente, o cenário do setor no Uruguai até janeiro do ano passado era positivo em relação à venda e à rentabilidade dos negócios. A situação mudou porque a Ancap [Administración Nacional de Combustibles, Alcohol y Portland] modificou, de forma unilateral, o parâmetro no cálculo de vários itens que compõem a fórmula de base, no qual o preço é determinado. O padrão existia havia 20 anos no país.

“Isto afetou negativamente nossa rentabilidade de forma gradual, acentuando-se a cada dia”, declara Añon de Leon, ao revelar que, há 10 meses, 290 estações de serviços – das 480 existentes – mantêm processo para que a autoridade regulamentadora reverta a decisão, que abriu uma brecha entre as receitas e as despesas dos empreendimentos. A ideia da Unvenu é garantir a sustentabilidade econômica dos negócios.

Graduado em Ciências Econômicas, Añon de Leon atuou como jogador profissional de futebol entre os anos de 1973 e 1975, na primeira divisão do Club Central Español de Montevideo. Também foi diretor do Banco do Seguro Social. É casado com Veronica, tem três filhos, Gonzalo (32 anos), Andrea (26 anos) e Mateo (6 anos).




Compartilhar