Sulpetro - Home

Notícias

Consumidores não devem perceber redução nos postos
17-10-2016

Notícia publicada, em 15 de outubro, no jornal Zero Hora. Texto de Vanessa Kannenberg.

Os motoristas poderão encontrar gasolina e diesel mais baratos nos postos de combustível, mas é preciso conter a euforia.

– Como a redução na refinaria foi muito pequena, na bomba também vai ser. Para o consumidor, quase nada muda – diz o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires.

Segundo estimativa da Petrobras, se a redução aplicada na refinaria for integralmente repassada ao consumidor final, o diesel pode cair 1,8%, ou R$ 0,05 por litro, e a gasolina, 1,4%, também R$ 0,05 por litro.

Pires prevê impacto ainda menor no bolso do consumidor. Segundo o especialista, a redução na gasolina deve ficar em 1% – menos de R$ 0,04 por litro.

No caminho da refinaria até o posto, o preço dos combustíveis é influenciado por diversos fatores, como valor do etanol, dos custos de distribuição e de revenda e os tributos estadual (ICMS) e federais (Cide e PIS/Cofins). Por isso, chega com queda bem mais baixa nas bombas.

Para Adão Oliveira, presidente do sindicato que representa os revendedores de combustíveis do RS (Sulpetro), um fator que pode diminuir o efeito do anúncio da Petrobras é o recente aumento no valor do etanol anidro, que compõe 27% do litro da gasolina.

– O povo não pode ficar iludido de que vai ter grande redução. Como o preço do álcool subiu violentamente, pode até anular a baixa do preço na refinaria – alerta Oliveira.

O diretor do Procon Porto Alegre, Cauê Vieira, alerta que os donos dos postos não são obrigados a repassar aos consumidores a redução definida pela Petrobras nas refinarias.

– Alguns donos vão manter o mesmo preço e justificar que a redução do produto vai servir como forma de repor a margem de lucro perdida nos últimos meses. No entanto, outros vão baixar para atrair consumidores e, com isso, o mercado acaba se regulando – explica Vieira.




Compartilhar