Sulpetro - Home

Notícias

Postos devem se adaptar à norma de segurança
03-12-2012

Publicada inicialmente em 1978, a Norma Regulamentadora nº 20, do Ministério do Trabalho e Emprego, passou por alterações e, desde março deste ano, já correm os prazos para que os revendedores se adaptem às mudanças. Para a engenheira de segurança do trabalho Claudia Jakubowski, da Jakubowski Engenheiros Consultores, é possível dividir a aplicação e implementação da NR 20 em três grupos: gestão e envolvimento do empregador, análise preliminar de riscos e capacitação.

Ela aponta os primeiros passos a serem seguidos pelo revendedor. Nas ordens de serviço, NR 01, deverão ser descritos pelo proprietário todas as atividades a serem desenvolvidas por cargo, os riscos ocupacionais a que estão expostos, os exames médicos e a periodicidade que devem ser realizados, as normas internas da empresa, a finalidade e obrigação do uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e as medidas de prevenção e segurança que a empresa possui para minimizar os riscos. “Deve ser assinado pelo colaborador na sua admissão”, comenta.

De acordo com a engenheira, no item segurança operacional, o foco é também documentar o modo operatório de cada processo: abastecimento, troca de óleo, lavagem, entre outros. O documento também deve ser assinado pelo colaborador em sua admissão e, para os funcionários já contratados, a medida é executar as ordens de serviço.

No projeto de instalação, cabe ao revendedor atualizar o mesmo para que contemple o croqui de localização e de equipamentos. Deverá ser elaborado também o plano de manutenção, com os itens que são inspecionados e/ou efetuadas manutenções preventivas com sua periodicidade, intervenções de manutenção e responsável, em sistema informatizado ou formulário próprio. “As máquinas e os equipamentos deverão possuir manual em Português”, orienta Claudia.

Controle de emissões fugitivas

A Norma requer a atualização constante do projeto elétrico, em atendimento à NR 10, assim como de laudos de aterramento (bombas de abastecimento, máquina lava-jato, descarregamento de combustíveis, entre outros). Por isso, é preciso elaborar o projeto elétrico de acordo com as normas brasileiras, por profissional habilitado.

Ele deverá ser composto por:

- Desenho: representação de todos os pontos elétricos, suas interligações em planta baixa, cortes e detalhes executivos da instalação.

- Memorial descritivo: relato de todos os seus detalhes, como lista de documentos, normas técnicas do sistema de entrada de energia.

- Memorial de cálculo: critérios da capacidade de condução da corrente, queda de tensão, níveis de curto-circuito e iluminâncias, sistema e esquemas de aterramento, etc.

- Especificações técnicas: descrições dos materiais citados nos desenhos e no memorial descritivo, normas de construção, ensaios e certificações que os materiais deverão atender para o perfeito desempenho e segurança das instalações elétricas.

Fonte: Engenheira de segurança do trabalho Claudia Jakubowski.

 




Compartilhar