Sulpetro - Home

Notícias

Revendedores devem seguir orientações para inibir assaltos
08-04-2013

Segundo levantamento da Polícia Civil, o Rio Grande do Sul registrou 574 assaltos a postos de combustíveis no ano passado, um aumento de 70% no número de ocorrências na comparação com o ano de 2011. O Sulpetro tem desenvolvido ações para auxiliar a Brigada Militar (BM) na repressão desses crimes e orienta os revendedores a seguirem as medidas abaixo, na ocorrência ou suspeita de um possível assalto:

- Ocorrendo assalto ao posto, acione imediatamente a BM, por meio do telefone 190.

- Descreva aos policiais militares, dentro do possível, os seguintes dados: características físicas (sexo, aparência física, cor da pele, idade aparente, altura e peso aparente); vestuário (bermuda, calça, moletom, boné, parca, calça de brim, tipo/cor de tênis, etc.); caracteres distintivos dos criminosos (exemplos: cor dos olhos, tatuagem, cicatrizes, calvície, gagueira, fanho, etc.); descreva o meio de fuga do local (à pé, carro, motocicleta).

- Procure dimensionar o tempo decorrido entre a saída dos criminosos do local e a chegada da BM para o atendimento. Se possível, informe o dado ao policial militar atendente do 190;

- Indique a direção da fuga dos criminosos;

- Informe se o criminoso já praticou outros crimes no estabelecimento;

- Registre a ocorrência junto aos policiais militares que foram no atendimento da ocorrência. Não há necessidade de se deslocar à delegacia de polícia para isso, em função da competência atribuída à BM para a produção de registros de fatos criminosos, cuja cópia poderá ser retirada junto ao Cartório do Batalhão de sua área, que atendeu ao fato;

- Disponibilize aos PM que estão fazendo o atendimento, a cópia das imagens gravadas do ato criminoso, a qual será consignada e encaminhada, pelo Batalhão responsável, atrelada ao registro policial, para a polícia judiciária (Polícia Civil), a quem compete a investigação de autoria pós-delito.

- Essas providências não afastam a medida preventiva dos funcionários dos postos em informar à BM, antecipadamente, as possíveis situações suspeitas em relação à rotina do estabelecimento.

 

Fonte: João Batista Rocha Vasconcellos, comandante do Comando de Polícia Ostensiva da Capital




Compartilhar